APRESENTAÇÃO

 

CARACTERIZAÇÃO:

O Rio São José dos Dourados tem extensão de 334,50 Km (PRODESP/2005), sua nascente está localizada no município de Mirassol e deságua em Pereira Barreto no Rio Paraná, passando por diversos municípios paulistas, é constituído por aproximadamente 35 afluentes em toda sua extensão.

Por ser um rio de corredeira, favorecia a piracema do dourado, peixe que já foi encontrado em abundância no rio e “empresta” seu nome.

A Unidade de Gerenciamento de Recursos Hídricos – UGRHI 18, Bacia do São José dos Dourados possui área territorial de 6.783,2 km2 (IPT/2004), abrangendo a área de 41 municípios, sendo 25 com sede na UGRHI, e 16 com sede em outras UGRHIs.  A população dos 25 municípios com sede na UGRHI,é de aproximadamente 215.000 habitantes (IBGE-2000).

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São José dos Dourados, instalado em 7 de agosto de 1997, é composto por 25 municípios: Aparecida d’Oeste, Auriflama, Dirce Reis, Floreal, General Salgado, Guzolândia, Ilha Solteira, Jales, Marinópolis, Monte Aprazível, Neves Paulista, Nhandeara, Nova Canaã Paulista, Palmeira d’Oeste, Pontalinda, Rubinéia, Santa Fé do Sul, Santa Salete, Santana da Ponte Pensa, São Francisco, São João das Duas Pontes, São João de Iracema, Sebastianópolis do Sul, Suzanápolis, Três Fronteiras.nteiras.

A Bacia do São José dos Dourados foi dividida em seis Sub-Bacias, a saber: (1) Baixo São José dos Dourados (área 2.247,1 km2), (2) Ribeirão Ponte Pensa (área 305,6 km2), (3) Ribeirão Coqueiro/Rio São José dos Dourados (área 637,3 km2), (4) Ribeirão Marimbondo/Rio São dos Dourados (área 933,9 km2), (5) Médio São José dos Dourados (área 1.281,5 km2) e (6) Alto São José dos Dourados (área 1.387,8 km2);

A disponibilidade hídrica superficial total da bacia é de 10,72 m³/s, sendo que a sub-bacia do Baixo São José dos Dourados conta com a maior disponibilidade, ou seja, uma vazão mínima (Q7,10) igual a 3,13 m³/s.  A sub-bacia com menor disponibilidade é a do Ribeirão Ponte Pensa com 0,51 m³/s de vazão mínima (Q7,10). 

A ocorrência das águas subterrâneas é condicionada a presença de três unidades aqüíferas: Bauru, Serra Geral e o Guarani. O aqüífero Bauru, o mais explorado, ocupa 94% da bacia e apresenta profundidade de até 250 m na Bacia, já o Aqüífero Guarani abrange a totalidade da bacia, sendo ainda pouco explorado devido a sua profundidade (varia de 800 a 1.100m na UGRHI-18) o que acarreta alto custo para sua utilização.

Dos municípios que compõem a Bacia do Rio São José dos Dourados, 19 se abastecem totalmente por meio de águas subterrâneas, enquanto 06 deles usam fontes mistas e apenas um se utiliza exclusivamente de águas superficiais.  Em termos de vulnerabilidade à poluição dos aqüíferos, o IG/CETESB/DAEE (1997) constatou nível Médio-baixo na maior parte da Bacia.

Atualmente o sistema de água e esgoto municipal é operado pela SABESP em 21 dos 26 municípios da Bacia.

 

CARACTERIZAÇÃO SOCIOECONÔMICA:

A Bacia do Rio São José dos Dourados tem como principais atividades econômicas a pecuária de leite e a fruticultura, com destaque para o plantio de uva.  Localiza-se nesta bacia um centro de pesquisas da EMBRAPA que auxilia os produtores em especial das diversas variedades de uva, além de outras frutas como pinha, coco, carambola, caju, castanha e acerola.

O setor comercial concentra-se nos municípios de Jales e Santa Fé do Sul atraindo compradores da região, assim como de outros estados (Minas Gerais e Mato Grosso do Sul).  A Ponte rodoferroviária, localizada na rodovia Euclides da Cunha, permite a interligação das regiões produtoras para os portos exportadores e em consonância com a Hidrovia Tietê-Paraná possibilitará o desenvolvimento regional em especial do setor agrícola e do agronegócio.